Hospital INC - Instituto de Neurologia de Curitiba

Hospital INC realiza o I Simpósio INC de Neurociência & Mês Mundial da Doença de Alzheimer


O Instituto de Neurologia de Curitiba- Hospital INC realizará o I Simpósio INC de Neurociência & Mês Mundial da Doença de Alzheimer, no dia 29 de setembro, das 8h às 17h30, no auditório da instituição. O evento, em comemoração ao Mês Mundial da Doença, contará com uma programação científica intensa e com renomados profissionais de diversas especialidades nas áreas de neurologia, psiquiatria, geriatria, neuropsicologia e sono, para tratar sobre o tema.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, a doença de Alzheimer é o tipo mais comum de demência, sendo responsável por 70% de todos os casos, e o número de pessoas que vivem com demência pode triplicar até 2050. Hoje, estima-se que 47 milhões de pessoas sofram de demência e que 10 milhões de pessoas desenvolvam demência a cada ano no mundo. No Brasil, são cerca de 1,2 milhões de pessoas diagnosticadas com a doença.

De acordo com a neurologista do Hospital INC, Amanda Batista Machado, demência é um termo usado para se referir a diversas doenças. “Esse termo é usado para doenças em sua maioria progressivas, com prejuízo de pelo menos duas funções dos domínios cognitivos como memória, funções executivas, habilidades viso-espaciais, linguagem e comportamento”, explica.

Com o envelhecimento da população mundial, o número de idosos acima de 65 anos nos países desenvolvidos e acima de 60 anos nos países em desenvolvimento, tem crescido. “Com isso, existe uma necessidade constante de replanejamento de medidas de saúde pública para dar a devida assistência a esta parcela da população”, completa a especialista.

Ainda não existe cura para a Doença de Alzheimer, mas, o reconhecimento da doença proporciona melhor qualidade de vida e apoio aos familiares, que precisam estar preparados para saber lidar com os sintomas de cada fase da doença, desde iniciis até estágios mais avançados. “Neste cenário, é preciso saber reconhecer sinais precoces da doença de Alzheimer e garantir que estes pacientes e familiares tenham todos os cuidados que precisam, além disso, para o diagnóstico de demência deve haver prejuízo de funcionalidade nas atividades de vida diária, com impacto em atividades sociais ou profissionais do indivíduo”, alerta.

Fonte: Clicnews